Cortina de ferro sobre Cuba

Cortina de ferro sobre Cuba

R$65,00

sinopse

Análise quase profética do que seria o futuro de Cuba e, por extensão, da própria América Latina, como consequência da Revolução Cubana de 1959. Publicado originalmente em 1960 em português e em espanhol, o livro trata, de forma quase profética, o que seria o destino de Cuba depois da Revolução de 1959. O autor trazia a experiência de sua Romênia natal, onde o comunismo tiranizava seu povo desde o final da 2ª Guerra Mundial, mas também com base em entrevistas com os principais personagens envolvidos naquele golpe e em certeiras análises de caráter de seus líderes.

Mapeia ainda quais as influências que aquela ideologia traria ao continente sul-americano, e que ainda se mostram presentes. Obra de grande importância, esquecida há 56 anos agora reapresentada em edição revista e ampliada por um brilhante prefácio de autoria de Elpídio Fonseca, tradutor de Eric Voegelin e de vários filósofos romenos, pelas editoras Resistência Cultural, de São Luís e Armada, de São Paulo.

Cortina de ferro sobre Cuba, publicado em 1961, escrito originalmente em português, teve também uma edição argentina. Nas palavras do autor: “Estas páginas nasceram, portanto, da experiência adquirida em um trabalho ininterrupto, no permanente contato com as realidades políticas, econômicas e sociais do Continente, e estão orientadas por uma série de contatos diretos com vários líderes políticos e militares da América Latina, provocados em busca da verdade e na defesa da democracia”. Desde o início, havia quem não apoiava e alertava o mundo sobre o que seria a Revolução Cubana de Fidel Castro e Che Guevara. Stefan Baciu, jornalista romeno de nascimento e formação, que conhecia de perto as práticas e políticas de regimes comunistas, foi mais longe e previu o que aconteceria nos anos seguintes não apenas à ilha, mas a todo o continente sul-americano, com visão quase profética. Neste livro imperdível, o autor mapeia a história do Partido Comunista Cubano, seu apoio à ditadura de Fulgencio Batista, que antecedeu a de Fidel Castro e a posterior entrega da população cubana a governos estrangeiros e ao jugo de soldados russos, chineses e do Leste europeu, todos comandados por Moscou.

 

detalhes técnicos

ANO: 2017   |   EDITORA:ARMADA/RESISTÊNCIA CULTURAL   |   EDIÇÃO: 2ª
DIMENSÃO: 21 X 14 CM   |   PÁGINAS: 214   |   ISBN: 9788566418118
ACABAMENTO: BROCHURA   |   IDIOMA: PORTUGUÊS   |   PAÍS: BRASIL   |   PESO: 281G

 

 

 

Fora de estoque

 

AUTOR

 

Ştefan-Aurel Baciu foi poeta, ensaísta, memorialista, jornalista, crítico de arte, tradutor, diplomata, professor universitário, nascido em Braşov, Romênia, em 29/10/1918 e falecido em Honolulu, Havaí, em 07/01/1993. Iniciou os estudos em sua cidade natal, tendo como professores Emil Cioran (lógica e filosofia), o crítico literário Octav Şuluţiu (língua francesa) e seu pai, Ioan Baciu (língua alemã). Em 1935, ainda adolescente, obteve, com seu livro de estreia, Os poemas do jovem poeta, o Prêmio das Fundações Reais, em disputa com centenas de candidatos, participando da comissão examinadora a nata da vida intelectual da Romênia da época: os filósofos Tudor Vianu, Constantin Noica e Mircea Vulcânescu, o escritor Mircea Eliade, além do Dr. Ion I. Cantacuzino, e mais alguns outros destacados representantes da vida literária do país.

Autor de cerca de 100 volumes e de milhares de artigos e estudos, Ştefan Baciu figura em dicionários e histórias literárias de vários países.

Peso 0.281 kg
Dimensões 140 × 210 mm



×
X